Mercúrio, 2025

A ESA (a Agência Espacial Europeia) e a Jaxa (sua contraparte japonesa) vão lançar em 2018 a sonda BepiColombo, que explorará Mercúrio somente a partir de 2025, quando deve completar sua complicada trajetória e iniciar a coleta de dados sobre a água congelada presente nas crateras pouco iluminadas do pequeno planeta e sobre seu fraco, porém desconcertante, campo magnético. Além da Terra, Mercúrio é único planeta rochoso do sistema solar a possuir um campo magnético, ainda que muito mais fraco do que o terrestre. (O artigo contém um erro importante ao desconsiderar que os gigantes gasosos também possuem campo magnético, dando a impressão de que só a Terra e Mercúrio têm essa característica.)

A descoberta do campo magnético de Mercúrio foi feita com a sonda Mariner 10, em 1974, e é uma das muitas peças que ainda não se encaixam no puzzle ultra hard da formação do sistema solar. O gelo das crateras mercurianas, peça de interesse astrobiológico, foi descoberto pela sonda Messenger, da NASA, que explorou o planeta entre 2011 e 2015.

Anúncios

Alexander Pope e a importância filosófica da astrobiologia (!?)

​He, who through vast immensity can pierce,

See worlds on worlds compose one universe,

Observe how system into system runs,

What other planets circle other suns,

What varied Being peoples every star,

May tell why Heaven has made us as we are.